A neurociência vem descobrindo que a saúde mental proporciona melhor qualidade de vida orgânica para o ser humano. Avanços recentes na Neuropsicologia comprovam o que há muito já se sabia: a mente tem um poder incrível sobre o corpo. No texto Depressão Social traço uma análise de como aspectos sociais acabam influenciando psicologicamente uma pessoa.

A cada dia cientistas descobrem que a mente e o corpo estão interligados de uma tal forma que a saúde da mente pode se refletir sobre o corpo do ser humano, de modo a proporcionar saúde, bem estar e evitar doenças. Mente e corpo não estão separados, antes sim, estão em íntima influência recíproca.

Alguns mecanismos emocionais reprimidos influenciam fisiologicamente no organismo de modo a disparar mecanismos de adoecimento, que nada mais são do que formas defensivas do organismo contra a realidade e contra os conflitos internos. O adoecer se torna, portanto, uma forma de lidar com a realidade externa e interna do organismo.

Males como estresse, problemas de coração, obesidade, problemas endocrinológicos, alergias, acidentes vascular cerebral, disfunções respiratórias, algumas dores crônicas, alguns cânceres, doenças intestinais e outros mais como transtornos ansiosos, transtornos do pânico, problemas de aprendizagem, tiques nervosos, etc. em alguns casos poderiam ser evitados com uma boa Psicoterapia.

As evidências do poder da mente sobre o corpo já são um fato comprovado. O que ainda falta esclarecer são os mecanismos sobre os quais operam essa relação. Autores como Freud e outros Psicólogos e Psicanalistas apontavam há muito para a influência da mente sobre a saúde do corpo.

O único quesito que ainda impossibilita as pessoas de gozarem desse avanço científico está situado na própria cultura. Infelizmente pessoas com problemas psicológicos sérios, traumas e conflitos psicológicos danosos não procuram um psicólogo relatando não serem ‘malucos’. Um equivocado preconceito evita a população de procurar um psicólogo e tomar medidas profiláticas e medidas psicoterapêuticas.

O pesquisador cardiologista da Universidade de Harvard, Dr. Herbert Benson, autor do livro Medicina Espiritual, relata em pesquisas conduzidas por ele que, em média, 60% das consultas médicas poderiam ser evitadas, caso as pessoas usassem sua capacidade mental para combater naturalmente tensões que são causadoras de problemas físicos.

Mas infelizmente, esse quadro apontado pelo Dr. Herbert Benson continua a aumentar e o preconceito contra as psicoterapias ainda permanece o mesmo. Poucas pessoas procuram por psicoterapia, mesmo quando conscientes de que precisam. Dessa forma, só criam uma bola de neve cada vez maior para o seu problema que pode desembocar num a doença orgânica em alguns casos.

Talvez o grande reclame dos psicoterapeutas sobre mercado saturado esteja na explicação sobre a forma de a população estabelecer relações com o próprio corpo: sempre observando o corpo como portador de uma doença que se localiza somente no organismo, sem interferências psicológicas. O que via ciência sabemos ser um equívoco.

Assim os pacientes evitam entender as influências psicológicas para os transtornos orgânicos e até mesmo evitam procurá-las, sustentando uma forma de preconceito que deve ser combatida pelos psicoterapeutas e todos os profissionais da área de saúde com seus respectivos conselhos federais.

A medicina psicossomática (que estuda as influências da mente para o desenvolvimento de doenças) preocupa-se com as relações entre o biológico, o psicológico e social. Preocupa-se em entender o ser humano em suas dimensões compostas por um corpo físico, uma subjetividade singular e um contexto histórico e social onde está inserido. Nesse sentido, o adoecer é um fenômeno que deve ser entendido nessas esferas do viver humano.

Portanto, para o bem-estar integral o paciente deve compreender-se como um ser portador de uma psique e um organismo inseridos numa cultura dada de relações sociais com significados específicos. É na conexão desses fatores que se estabelece o adoecer. Dessa forma, a cura do corpo deve ser buscada com ajuda da psicoterapia naquilo que for de seu alcance teórico.

Cabe aos pacientes procurarem ajuda psicoterapêutica de maneira preventiva ou terapêutica despindo-se de preconceitos danosos e cabe aos profissionais de saúde apontarem os benefícios múltiplos da saúde psicológica para o bem estar físico da população.

Fonte: Site Marcelo Quirino

1 comentário em “A Saúde da Mente pode Evitar Doenças”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *