Vamos falar sobre as coisas que andamos fazendo no nosso dia-a-dia? Sim, esse é o assunto deste post.

A energia que usamos com as coisas que fazemos. Pode não parecer, mas utilizamos muito mais energia do que nos damos conta em tudo o que fazemos, em todas as ideias ou burocracias as quais nos metemos a colocar em prática. Por isso devemos prestar muita atenção ao que estamos fazendo no nosso dia a dia, pois estamos gastando o nosso precioso combustível muitas vezes em coisas que não nos trazem nada de bom.

Já ouvi em muitas palestras sobre espiritualismo, que nossa energia se envolve e se mistura com a energia do que estamos fazendo, e não se engane, tudo é energia, acreditem, até as coisas mais chatas de se fazerem tem energia. Partindo de que funciona dessa forma, podemos dizer que as energias se misturam sim, nós somos impregnados da energia da “coisa” que fazemos e doamos a nossa energia vital à “coisa” que estamos fazendo.

O que tenho tentado fazer depois de me dar conta disso, é concentrar toda minha energia em coisas que me trazem bem estar e equilíbrio ou em coisas que eu realmente acredito que quero, aquela que o próprio coração escolhe. Para ilustrar isso, deixa eu contar uma história que ouvi em uma dessas palestras, contada por um psicanalista:

“Uma mãe foi a um concerto de piano e levou seu filho pequeno com ela. O concerto estava para começar e todos aguardavam, eles estavam em um dos camarotes com muitos casais e mulheres sós. Como nós já sabemos, quando se juntam algumas mulheres no mesmo espaço, elas começam um assunto e vão emendando um no outro e já viu. Bom o que aconteceu, é que seu filho saiu dali e ela nem notou. Ele foi parar na parte de trás do palco, onde viu aquele imenso piano e ficou maravilhado. Quando se abriram as cortinas, o que se viu, foi o menino tocando com um dedo só a canção “Cai Cai Balão”, a mãe do menino levou um susto e já se sentindo constrangida ameaçou se levantar, a plateia já sussurrava algumas palavras de protesto e de vaia, quando atrás do menino, entrou o maestro que se apresentaria naquela noite. Ele veio bem devagarinho e chegando perto do menino para não assustá-lo, disse em seu ouvido baixinho para ele continuar tocando e foi o que ele fez. O maestro aos poucos, posicionou a sua mão esquerda ao lado do menino para acompanhá-lo fazendo uma base para a música e depois com sua mão direita, começou a fazer alguns solos que complementavam a canção. Tornou aquele momento único. Ficou magnífico, a maior parte das pessoas aplaudiu e alguns poucos ainda se emocionaram ao final.”

O que ele quis dizer com essa história, é que as vezes não nos damos conta, que quando fazemos algo com o coração e dedicamos toda a nossa energia, mesmo que em uma coisa simples, algo maior vem nos dar o tom correto de acompanhamento e ajuda a tornar esse algo simples em uma verdadeira obra.

Por isso dedique sua energia em coisas que façam o seu coração vibrar. Se você está pensando em fazer algo diferente em sua vida, mesmo que seja simples, siga o coração e faça. Acredite! Aposto que não se arrependerá.

 

Rodrigo Magno Veiga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *